quando finalmente voltará a ser como nunca foi

falandosobrelivros

Quando peguei esse livro pra ler, tinha acabado de sair de duas biografias praticamente consecutivas: uma bem pesada, que é a da Clarice e uma bem leve, que é a da Rita Lee. Por mais que esse livro não seja uma biografia verdadeira, ele tem as características de uma, com detalhes ricos e muito próximos da realidade.

Ao começar a história, já vamos procurando o fio condutor da trama – algo comum em muitos leitores, afinal, ninguém gosta de ficar perdido na leitura, ainda mais num livro que começa misterioso e possui uma capa tão convidativa. Mas, mesmo formulando mil e uma teorias, ao chegar no segundo capítulo tudo cai por terra e, ainda atordoada, é possível perceber que se trata de um livro de memórias. E, a cada caso contado vamos nos aproximando mais e mais da família de Joachim, o narrador em primeira pessoa.

Apesar de descrever poucas características das personagens – a não ser do pai – a imagem de todos da casa vai se formando como se, realmente, eles existissem. Mas, será que não existem mesmo? Cada dor, cada felicidade, cada momentos juntos e até os momentos de burrice ou de fúria se assemelham a qualquer outra família. Talvez, seja por isso que o ator suprime algumas características: assim, podemos ter uma construção particular.

Assim como na vida, o livro passa por partes lentas, em que a leitura se arrasta e dá vontade de desistir, tal qual uma segunda-feira mal dormida ou um período sombrio. Porém, também há partes em que a leitura flui rapidamente, como um domingo de sol ou aquela viagem desejada. Outra característica marcante é o fato de que, muitas vezes, não há explicação para o que aconteceu exatamente porque, na vida, existem coisas que simplesmente acontece e não há o que explicar. Tomamos decisões sem sentido, contrariamos a razão e, nem sempre esclarecemos os motivos, porque nem sempre há motivos. Isso é tão explícito no livro que acredito ter feito muita gente desistir da leitura, sempre queremos saber de tudo, mas tudo é muito coisas para se saber. As coisas simplesmente acontecem. Ao ler esse livro, ficou ainda mais claro na minha cabeça que é assim que a vida funciona. Só nos resta aceitar.

Não, o livro não é real, mas bem que poderia ser. Assim como a vida de cada um poderia ser um livro. A linha que separa a ficção da realidade é muito tênue.


Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi
Joachim MeyerHoff
352 páginas. 2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s